Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

26 de Dezembro, 2012

Foi um bom Natal

Inês

E assim se passou mais um Natal. Desde há dois ou três anos que o Natal deixou de ter o mesmo significado. Nunca compreendi porque é que o meu irmão era tão desinteressado e seco para a nossa família mas agora entendo e infelizmente, adotei algumas dessas atitudes. Estes dias tornam-se num favor que é necessário fazer, visitar uns avós e visitar os outros, estar com a mãe mas não esquecer que temos ainda que passar pelo pai. Dar prendas a ninguém porque se se dá a um ou outro, alguém há-de ficar chateado por não receber. O Natal, agora que não somos crianças, é uma época de muitos inconvenientes, muitos favores e muitos momentos chatos mas mesmo assim, acho que ainda vale a pena. A consoada passa-se bem enquanto se ouvem umas músicas natalicias para dar mais ambiente. Depois, comem-se uns doces, vemos o natal dentro da casa dos segredos e ainda vemos mais videos engraçados de gente que não tem cabeça (eu e o meu irmão claro está!).  Eu e o meu irmão passamos os últimos três dias sempre juntos e adoro isso. Não acontece assim tantas vezes. Ele vai trabalhar para aqui, depois para acolá e a casa, muitas vezes, não passa de um hotel. Agora que está de férias, reservou estes dias para a família e, visto que a família lhe diz pouco, aqui estou eu para o animar e vice-versa. Mas continuando, mal chega a meia-noite, refugiamo-nos lá na entrada para deixar 'os pais-natais' tratarem das prendinhas. Cada sapatinho ficou recheado com qualquer coisa e o meu não foi exceção (bem pelo contrário! estava bem cheio. é o que dá ser a mais nova ;P). Recebi roupa como não podia deixar de ser, um camisolão, um sobretudo, outra camisola às riscas da Shana (como eu queria), um livro ("Na Sombra do Sonho" alguém já leu?), uma boneca cheirosa pretinha muito gira da Ale-hop que já me tinha ficado debaixo de olho e uns ferrero rochez que tardaram mas chegaram (o que eu gosto de receber ferrero rochez!) e mais umas quantas coisitas. Quanto aos presentes que eu dei este ano, essas não foram grande coisa. Acabei por fazê-los manualmente na noite antes de dia 24 e no próprio dia. Ideias muito giras que encontrei pela net. Fiz um caçador de sonhos para a minha mãe e uma molinha com uma mensagem para o meu irmão. Depois tiro fotografias e coloco aqui porque acho que ficou mesmo bonito. Seguindo, o dia seguinte só começou às três da tarde. O despertador decidiu também aproveitar o feriado e portanto, ninguém acordou. Entretanto, lá comemos o peru e fomos visitar uns amigos do meu irmão e o meu pai. Depois, voltamos à casa do meu avô para jantar. A noite acabou com uma maratona de Harry Potter. Acabei de ver o primeiro e revi o HP e o Cálice de Fogo. Gostava agora de ver os filmes restantes porque sendo uma saga de tanto sucesso, sempre me suscitou um pouco de curiosidade. E assim se passou mais um Natal. Acabo com a sensação descrita nas primeiras linhas e com a certeza de que Natal sem crianças, não é Natal, ninguém se esforça para que assim seja. E este texto acabou um pouco confuso com reflexões meio baralhadas aqui para o meio mas não vejo maneira de exprimir isto melhor.

1 comentário

Comentar post