Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

19 de Maio, 2013

Outras coisas que aconteceram esta semana

Inês

- A Catarina chateou-se comigo. Tipo big deal. Deixou de falar comigo por uns dias. Talvez eu tenha tido um pouco de culpa, pelo menos é o que sinto. Quando partilhamos uma relação de amizade com alguém é suposto partilharmos com essa pessoa quase tudo de nós, certo? Os nossos gostos, o que pensamos, as nossas indecisões e coisas que tais. Acontece que eu pouco disse (ou mesmo nada) do curly à Cat. A Cat é muito de ir 'admirar' rapazes e blá blá blá e isso não me assiste. Por isso, deixamos um bocado de falar nesse tópico. Ela lá tem os dela e eu... bem, não tinha nenhum até à pouco tempo. Quase nada falei do curly à Cat porque no inicio, pouco havia para falar e depois quando começou a haver, sentia-me um bocado ridícula a falar-lhe deste assunto porque ela é mais experiente nesta área e provavelmente, ia-me achar uma parva (como eu mesma me acho). Sendo que, simplesmente, nada lhe disse e em vez disso, contei tudo tudo a quem eu sabia de certeza que me entenderia e me desse bons concelhos, a Amelie e a Diana porque nisto são muito mais parecidas comigo do que a Cat. Então, imaginam que a Cat ficou com 'ciúmes' e deixou, radicalmente, de falar comigo. Por isso, digo que talvez tenha um pouco de culpa pois não fui uma boa amiga ao não partilhar isto com ela. Entendo isso. Se fosse ao contrário, ficaria triste também. Agora, não me venham com tretas. Deixar de falar? Amuar? Por amor de deus. Uma das coisas que eu mais valorizo é o diálogo, a capacidade de exteriorizarmos o que sentimos e pensamos. Não digo tudo o que penso (ui! nem de longe) mas o que acho necessário digo-o, tento resolver as coisas e ouvir outras opiniões. Mas a Catarina não. Ela se fica chateada com algo ninguém ouve um pio dela e cria um mau ambiente porque toda a gente nota a cena mal resolvida entre nós. É mesmo um amuo. Fica mal. Ela já tem dezoito e só lhe ficam mal estas situações. E depois eu sinto-me pessimamente porque a Cat está chateada comigo e isso deixa-me logo mal para o resto do dia (dias!). Tentei falar com ela várias vezes mas ela caminhava rápido à minha frente e dizia que não estava para me aturar. E ali estava a Inês feita parva a tentar falar com alguém que não quer ouvir enquanto os colegas de turma se riem desvalorizando a situação. Podia ser uma brincadeira mas não é e estas situações mostram a nós próprios o quão importantes são as pessoas à nossa volta. Chamo amiga à Cat e, realmente, acho que é isso que ela é para mim já que me importei tanto quando não estávamos bem. Espero que ela tenha sentido o mesmo. Agora está tudo resolvido. Como deixou de falar, também começou e agora está tudo bem. Mas lá está. Falta o diálogo. Falta ela dizer-me que não gostou de ser posta de parte. Falta eu dizer-lhe que ela tem que deixar de amuar. Falta isso ainda.

 

- Por outro lado, por causa desta história do curly, aproximei-me bastante da Amelie e da Diana. Falámos das coisas de uma perspetiva diferente. Abrimo-nos mais umas para as outras e isso enriquece a nossa amizade.

 

- É só testes como devem também sentir do vosso lado. As notas têm sido boas (dezoitos. yeah!) tirando matemática (catorze. bah!) que já me causou uma discussão aqui em casa. Ainda não vos contei isso!!

 

- Pois bem, eu e a minha mãe sempre tivemos uma relação próxima. Próxima demais na verdade. Sempre fui uma menina da mama, super dependente em termos emocionais e ela também em relação a mim devido às circunstâncias da vida. Isso não é bom. E felizmente mudou quando entrei para a secundária. Só que mudou de uma maneira demasiado repentina. E a minha mãe não gostou. Foi notório um corte na relação. Nada demasiado negativo mas visto a relação de proximidade que tínhamos mantido durante tantos anos, essa mudança deixou uma diferença grande. Deixei de sentir a necessidade de contar tudo tim por tim o que acontecia na escola e, principalmente, comigo. Poderão imaginar que ela ainda não sabe nada disto do curly mas imagina! Tenho a certeza que imagina! Porque, basicamente, eu envio mensagens sobre ele para amelie do móvel da minha mãe (porque senão gasto dinheiro) e ela, que não é burra nenhuma, já as deve ter lido. E eu sei disso perfeitamente. Mas continuo a não as pagar porque se o fizer, então é que ela vai perceber que algo se passa. Não tenho nada a esconder mas também não tenho nada a contar-lhe (pelo menos para já) e admito que me 'assusta' um pouco a parte de contar estas coisas mais intimas à minha mãe. Antes, contava tudo, fazia todas as perguntas. Nunca houve problemas em falar abertamente mas agora há e isso também não é bom. Parece que estamos a andar para trás. Ah! E a cena é que eu fico nas sextas à tarde na escola. Não tenho aulas nem nada mas eu só consigo estudar e trabalhar em condições na escola (em casa não dá por causa das distrações) e assim, aproveito, para neste dia ficar lá com a Cat e estudamos as duas. Este era o objetivo inicial e principal mas cada vez mais o estudo tem sido menos, entre o almoço, o ping-pong e o curly (que tem aulas à tarde), os livros ficam cada vez mais de parte. E o cartorze a matemática só veio pôr isso a público! E agora a minha mãe ainda com umas indiretas com aquele sorriso que ela tem quando sabe perfeitamente que estou a mentir (ou a omitir como ela diz). Ela sabe quase nada porque as sms pouco tinham mas pronto. As mães sabem destas coisas, não é?

 

- Outra coisa que me aconteceu esta semana! Comer, para mim, deixou de ser problema desde que eu entrei para a secundária. Como bem. Muitas vezes ao dia e tal. Esta semana, tenho andado enjoada. Acho que me fartei dos pães da escola e dos jantares aqui em casa. Não consigo comer tão frequentemente como fazia antes. Só as bolachas maria é que calham sempre bem. E como nos intervalos não me dá para comer, depois das aulas tenho fome e ponho-me a comer bolachas maria à socapa com a Amelie (o que é bastante complicado e engraçado porque estamos mesmo à frente dos profs). Mas pronto. Acerca deste assunto, queria também deixar aqui uma dica que acho importante. Não sei se já vos tinha dito mas um dos meus 'problemas' era sentir-me inchada na barriga. Em tempos, já tive uma barriga danone mas ela desapareceu para minha tristeza. Mas quase que voltou! Pelo menos, já não noto a minha barriga tão inchada (antes comia nem que fosse uma bolachita e ficava logo que como se tivesse comido alto jantar). O que fiz foi seguir um concelho da Fireflies: ao pequeno-almoço beber um iogurte liquido com cereais e a meio da manhã uma barra de cereais. Depois, um pouco mais tarde mas ainda de manhã como bolachas maria e controlo melhor as quantidades do que como. Quando na cantina são aquelas comidas mais pesadas de carne e assim, como só sopa que me sabe, surpreendentemente, bem agora. É isso.

 

- Este tema lembra-me as caminhadas que eu promoti dar. Pois. Acho que me fiquei pela promessa...

 

Que post huge!! Foi isto que me aconteceu esta semana.

1 comentário

Comentar post