Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

19 de Novembro, 2013

Listas, campanha e Porto

Inês

Lá na escola, esta é a semana das listas, aka barulho, festa, sweats e um pouco de debate. Ontem e hoje os dias foram de campanha forte e barulhenta. Nunca fui muito chegada a este assunto das listas mas, este ano, não o fui mesmo! E sinto que desperdicei completamente esta vertente do secundária neste último ano que é a última vez que vou assistir a tal evento (se tudo correr bem). No entanto, olho para aquela balbúrdia toda de um ponto de vista muito claro: ou se é dominado pelo ambiente festivo e se curte à brava a festa lá no meio da confusão ou então nem vale a pena lá estar. Para estar feito parvo a ver a festa a acontecer mais vale nem lá estar! E eu admito que não tenho o à vontade dos 'malucos' nem me sinto confortável a dançar como se estivesse num sábado à noite no bar do centro. E, visto isto, poucos foram os que lá me viram. Foi assim que o assunto da campanha (tão importante para alguns que não põe os pés nas aulas durante os dois dias de campanha) me passou ao lado. Amanha há debate é isso é o mais interessante para mim, sem dúvida alguma. Hoje, fiz algo que já queria fazer há imeeeenso tempo. Meti-me num autocarro com destino ao Porto. Fui sozinha e sozinha vim. Não porque assim quisesse mas não há disponibilidade das outras pessoas e, se sou eu que quero, há que fazer acontecer. Nunca me tinha atirado assim sozinha para a grande cidade mas não é nada por aí além. Comi castanhas em plena rua Sta Catarina e era exatamente isso que tinha em mente. O dia esteve bom ainda que mais sol fosse bem-vindo. Um dos pontos negativos nas grandes cidades como o Porto é que os edifícios são altíssimos e não deixam os raios solares, bem brilhantes e bem-dispostos, entrarem pela cidade adentro. O meu mood, hoje, não foi mau mas, não querendo ser repetitiva (well, este é o meu blog), estar sempre dentro da minha cabeça é mais que cansativo.