Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

20 de Dezembro, 2013

Os modelos de hoje em dia

Inês

Ainda há uns dias falei da Beyoncé e do seu regresso. Até disse que uma das minhas músicas preferidas do novo leque que ela lançou era a Drunk In Love. Depois de analisar melhor essa música e do respetivo vídeo, deparo-me com o mais óbvio: a mensagem e imagem que transmitem. Eu considero a Beyoncé das melhores artistas que temos hoje em dia, tem a voz, a sonoridade, a dança e o espetáculo. Tudo feito para o sucesso. E esse mesmo também ela o obtém. Li hoje que este álbum bateu alguns records e chegou ao milhão de vendas online. Mas afinal o que é a Beyoncé? De que é feita a música dela? Com que objetivo trabalha ela nesta indústria? Pois bem. Por ter as características que enumero em cima, daria-lhe algum respeito, consideração e colocaria-a numa posição (vendo também toda a carreira anterior) que não daria a outras tantas como Kesha ou Miley mas vejamos: a letra fala-nos de um casal a dar-lhe fortemente a noite toda; ela surge-nos protagonista dessa história mais despida que vestida em momentos, danças e caras sensuais e provocativas; ele, o Jay Z, rapa um pouco no meio com o característico cap, montes de correntes ao pescoço e um copo na mão com a sua amada sempre à volta bem encostadinha. Este é o estereotipo e preconceito existentes hoje em dia acerca dos rappers, chulos com swag, e cantoras pop, bitches, para que contribuem completamente artistas tão conceituados e que alcançaram tantos feitos como estes. E depois penso no porquê de estar tão surpreendida, afinal foram eles os primeiros, há uma ou duas décadas, os originadores desta nova forma de ver e ouvir música. Que pobreza...

 

E, sim, há dois posts que ando desagrada com estas situações. Desagrado esse que vou combatendo a ouvir Bastille, a minha nova banda de eleição.