Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

30 de Dezembro, 2012

As músicas de 2012

Inês

À semelhança do que fiz o ano passado por esta altura, também hoje irei eleger as minhas doze músicas preferidas de 2012. O processo é um tanto ou quanto difícil porque tenho sempre tendência a escolher músicas que tenho ouvido mais recentemente mas vamos lá:

 

1º We Are Young (Fun) - que música fantástica. Tudo combina perfeitamente: a letra, o instrumental, as vozes. Adoro! Transmite energia, juventude, amizade e força. Adoro completamente!

 

2º Young, Wild and Free (Snoop Dog & Wiz Khalifa) - adoro esta música sobretudo por causa da melodia, do instrumental mas tenho a dizer também que o tema que aborda, polémico claro está, não me é indiferente (nada mesmo). Sinto uma curiosidade tremenda sobre este mundo das drogas, do tabaco, da vida louca, despreocupada e arriscada. Talvez não o devesse sentir mas sinto e penso que não é assim tão anormal. Acho que qualquer jovem pensa nestas coisas, pergunta-se porque há tantos que se viciam nelas, no quão boas e más elas devem ser. Eu nunca experimentei nada, sou uma ceguinha no que toca a isto e às vezes, desejava não o ser porque também penso que uma pessoa para não gostar e criticar algo deve saber do que fala primeiro. Pronto. Já confundi isto e baralhei as ideias mas é isto.

 

3º Mirror (Lil Wayne & Bruno Mars) - gosto muito. Não sei muito bem o que dizer. Lil Wayne não me diz muito mas acho ele tem uma forma de dizer as coisas poderosa. Seja como for, gosto muito de ouvir esta música ainda hoje.

 

4º Without You (Glee) - acho que esta deve ser a melhor versão que Glee já fez de alguma música. Está tudo perfeito.

 

5º Hotel California (The Eagles) - conheci esta música este ano e apaixonei-me. Não sou muito de ouvir músicas antigas tipo aquelas pessoas que adoram completamente música dos anos 60 ou 80. Considero-me pouco original no que toca a músicas, lá tenho os meus gostos mas é tudo muito pop. Esta, é de não sei quando e mesmo assim eu adoro-a. Acho mesmo bonita.

 

6º Dont Speak (Glee) - outra música fantástica com a marca Glee.

 

7º Locked Out Of Heaven (Bruno Mars) - adoro! Com esta música, Bruno Mars demonstra uma mudança no seu estilo que é muito positiva (digo eu).

 

8º Where Have You Been (Rihanna) - Rihanna! Claro que a Rihanna tinha que estar aqui. Gosto de quase tudo o que ela faz e como não podia deixar de ser, aqui está ela!

 

9º Blue Jeans (Lana Del Rey) - tornei-me fã da Lana Del Rey este ano como milhares de pessoas em todo o mundo. Ela teve uma subida de popularidade super rápida. Tem um estilo de música bastante invulgar que eu gosto muito. Gosto tanto desta música como outras Born To Die, Video Games ou National Anthem mas talvez esta seja a tal.

 

10º Diamonds (Rihanna) - já não tenho muito a dizer. Gosto muito!

 

11º Skinny Love (Birdy) - música muito bonita. Também gosto da original do Bon Iver mas acho que esta é mais bonita.

 

12º Breath Of Life (Florence + The Machine) - música que transmite muita força. Também gosto muito!

 

E pronto, duas horas depois, está feito! Deixem-me aí o que escolheriam como melhor música para vocês ou a que vos disse mais neste ano. E entretanto ouçam a nr. 1 que já devem ter ouvido umas mil e quinhentas vezes mas pronto, ouçam lá mais uma:

 

29 de Dezembro, 2012

Passagens de ano

Inês

As passagens de ano cada vez me deixam mais triste. Sair com amigos ainda é completamente fora de questão em minha casa (mesmo que não fosse, também não tinha convites. enfim...) e estar com a família (família essa em que toda a gente tem acima de cinquenta anos..) é uma seca! O meu irmão (companhia nestas ocasiões) vai para casa dos amigos. Amigos esses que eu conheço e até me dou bem. E aqui coloca-se um problema pois eles convidaram-me para também ir mas eu fico muito reticente quanto a isto pois com certeza lá estarão pessoas que eu não conheço e continuam a ser pessoas com as quais eu não me sinto cem por cento confortável. O que eu gostava mesmo era ter um plano fixe assim todo XPTO. Afinal já tenho dezasseis mas por outro lado, só tenho dezasseis. Mais uma vez, enfim! Vou mazé onde a minha mãe for como sempre e quando me cansar peço-lhe que me traga a casa onde eu, sozinha, vou sentir-me bem a fazer o que quiser (entenda-se ver glee/fisico-quimica/shameless/filmes que me apeteçam no meu sofázinho com pipocas!). Contem-me lá os vossos planos :)

26 de Dezembro, 2012

Foi um bom Natal

Inês

E assim se passou mais um Natal. Desde há dois ou três anos que o Natal deixou de ter o mesmo significado. Nunca compreendi porque é que o meu irmão era tão desinteressado e seco para a nossa família mas agora entendo e infelizmente, adotei algumas dessas atitudes. Estes dias tornam-se num favor que é necessário fazer, visitar uns avós e visitar os outros, estar com a mãe mas não esquecer que temos ainda que passar pelo pai. Dar prendas a ninguém porque se se dá a um ou outro, alguém há-de ficar chateado por não receber. O Natal, agora que não somos crianças, é uma época de muitos inconvenientes, muitos favores e muitos momentos chatos mas mesmo assim, acho que ainda vale a pena. A consoada passa-se bem enquanto se ouvem umas músicas natalicias para dar mais ambiente. Depois, comem-se uns doces, vemos o natal dentro da casa dos segredos e ainda vemos mais videos engraçados de gente que não tem cabeça (eu e o meu irmão claro está!).  Eu e o meu irmão passamos os últimos três dias sempre juntos e adoro isso. Não acontece assim tantas vezes. Ele vai trabalhar para aqui, depois para acolá e a casa, muitas vezes, não passa de um hotel. Agora que está de férias, reservou estes dias para a família e, visto que a família lhe diz pouco, aqui estou eu para o animar e vice-versa. Mas continuando, mal chega a meia-noite, refugiamo-nos lá na entrada para deixar 'os pais-natais' tratarem das prendinhas. Cada sapatinho ficou recheado com qualquer coisa e o meu não foi exceção (bem pelo contrário! estava bem cheio. é o que dá ser a mais nova ;P). Recebi roupa como não podia deixar de ser, um camisolão, um sobretudo, outra camisola às riscas da Shana (como eu queria), um livro ("Na Sombra do Sonho" alguém já leu?), uma boneca cheirosa pretinha muito gira da Ale-hop que já me tinha ficado debaixo de olho e uns ferrero rochez que tardaram mas chegaram (o que eu gosto de receber ferrero rochez!) e mais umas quantas coisitas. Quanto aos presentes que eu dei este ano, essas não foram grande coisa. Acabei por fazê-los manualmente na noite antes de dia 24 e no próprio dia. Ideias muito giras que encontrei pela net. Fiz um caçador de sonhos para a minha mãe e uma molinha com uma mensagem para o meu irmão. Depois tiro fotografias e coloco aqui porque acho que ficou mesmo bonito. Seguindo, o dia seguinte só começou às três da tarde. O despertador decidiu também aproveitar o feriado e portanto, ninguém acordou. Entretanto, lá comemos o peru e fomos visitar uns amigos do meu irmão e o meu pai. Depois, voltamos à casa do meu avô para jantar. A noite acabou com uma maratona de Harry Potter. Acabei de ver o primeiro e revi o HP e o Cálice de Fogo. Gostava agora de ver os filmes restantes porque sendo uma saga de tanto sucesso, sempre me suscitou um pouco de curiosidade. E assim se passou mais um Natal. Acabo com a sensação descrita nas primeiras linhas e com a certeza de que Natal sem crianças, não é Natal, ninguém se esforça para que assim seja. E este texto acabou um pouco confuso com reflexões meio baralhadas aqui para o meio mas não vejo maneira de exprimir isto melhor.

23 de Dezembro, 2012

Falta o espiritito natalicio

Inês

Ainda não encontrei o espírito natalício este ano. Não me parece que o Natal seja já amanhã. As prendas, os doces, foram todos para o caraças este ano. Não esperem muito de mim. Esperem mesmo nada e assim não ficarão desiludidos. Pelo menos, tive os postais o que é ótimo só por si. Espero que desse lado não se passe o mesmo.

 

Feliz Natal gente!
21 de Dezembro, 2012

Os Jogos da Fome - O filme

Inês

Gostei. Não adorei. Não percebi a ultima parte do produtor dos jogos fechado dentro de uma sala com as bagas mas ainda vou pesquisar sobre isso.  Continuo à espera do próximo livro. Surgiu-me uma ideia: alguém visitante deste blog tem o livro e não se importa de o emprestar? Podíamos fazer uma troca de livros ou assim. Tenho uns quantos que podem achar interessantes. Digam-me lá o que acham sobre isto.

18 de Dezembro, 2012

Que tédio!

Inês

Isto de estar de férias é muito bonito mas é uma seca autêntica. Passar os dias a ver séries chega a um ponto em que deixa de ser divertido. O que vale é que amanhã tenho amigos cá em casa para uma sessão de cinema como nunca fiz antes. Vamos ver o Ted (a pedido dos rapazes) e o Hunger Games para minha alegria (finalmente!). Para já, e para ocupar um pouco a cabeça, vou tratar de pôr matemática em dia.

16 de Dezembro, 2012

Nobody´s Perfect

Inês


Não sei porquê mas esta música não me tem saído da cabeça nos últimos dias.

Diz me lá, ó subconsciente!


E rever este video, faz-me lembrar o quão desconcertante ele é.
16 de Dezembro, 2012

Luck has been restored! ou finalmente tive uma feira de jeito

Inês

Pois é! Ontem tive mais uma feira, como já começa a ser hábito, que correu às mil maravilhas o que já não era de todo hábito. Foi na Maia dentro do Fórum o que me preocupou bastante logo que cheguei ao local pois é um local fechado com pouca visibilidade e como era a primeira vez que esta feira iria acontecer, o conhecimento por parte das pessoas era questionável. O tempo também não ajudava pois embora não estivesse a chover, as nuvens pareciam manhosas. Portanto, a opinião geral entre os vendedores era simples: isto vai ser uma desgraça! O que acabou por se concretizar para a maior parte deles mas não para mim! Angariei um total de 26€ o que cobriu as despesas que tive mas só isso mesmo já que não resiti a fazer por lá umas comprinhas aos outros vendedores. Mas, pelo menos, não fiquei com saldo negativo! O que estava a acontecer há pelo menos, quatro feiras. Isto leva-me a crer que o fator determinante no sucesso de um vendedor é mesmo a sorte. O que é assustador. Nunca sabemos como vai correr, pode tudo estar a favor e depois, pimba! um dia de porcaria em termos de vendas. Ou então, podemos estar num sitio pessimos e conseguir vender bastante. Eu não sou de sortes, nem de amuletos, nem de destinos ou essas tretas todas mas não posso negar que a sorte é fundamental nestes eventos. O que não deixa de ser dificil para mim de entender mas, seja como for, espero que a sorte não me abandone.

Pág. 1/2