Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

30 de Junho, 2013

Sabes que cresces quando

Inês

tiras os posters twilight das paredes do quarto e os substituis por fotos que registam os melhores momentos da tua vida, certo? Faz algum sentido até. Antes vivia de sonhos e histórias que não eram minhas. Agora tenho a minha própria história. A parte mais ou menos engraçada disto é que, numa época em que todo o mundo digitaliza as fotos que tem em suporte de papel, eu faço o contrário e levo uma pen com cem fotos ao fotógrafo aqui da zona para ele as imprimir como deve de ser.

A juntar a esta mudança de decoração gostava muito de arranjar uma daquelas cadeiras antigas, estreita e alta. Gostava de pintá-la com uma cor fixe e colocá-la lá no quarto. Isto depois de mudar a disposição da mobília. Só me resta encontrar uma cadeira destas. E aí está o problema maior.

By the way, estou a ouvir agora Can't Hold Us do Macklemore. Tornou-se das minhas músicas favoritas de sempre. Ouçam também!

29 de Junho, 2013

Este mês - Last Goodbye

Inês

Junho está a acabar e com ele acaba a melhor temporada da minha vida até agora. Desde meados de Janeiro/Fevereiro que os meus dias conheceram um sabor diferente. Vivi momentos felizes. Toda a minha vida esperei por eles e, finalmente, chegaram. Grande parte deles foram vividos ao lado da Amelie que partiu hoje para o seu país de origem. Liguei-me à Amelie de uma forma como nunca me tinha ligado a ninguém. Aproximei-me dela de uma forma muito forte. Talvez demasiado forte tendo em conta que o seu tempo perto de mim estava contado. E pode dizer-se que a distância não conta e grandes e verdadeiras amizades sobrevivem a qualquer tipo de separação física mas caramba! a distância conta claro! A proximidade de duas pessoas contribui para o crescimento das relações e é diferente vermos todos os dias uma pessoa ao vivo perto de nós do que vermos essa pessoa a partir de um ecrã de computador. Mas, como disse, a estadia da Amelie cá em Portugal estava tão planeada como a sua partida. Mas custa. Custa tanto! Ter consciência da incerteza que existe em voltar a ver uma pessoa que conquistou um lugar tão especial em nós custa muito mesmo. Este mês teve realmente momentos fantásticos (muitos!) mas teve também momentos mesmo baixos, talvez também dos mais baixos que já tive. Aquele fim-de-semana a seguir ao fim das aulas foi, verdadeiramente, baixo. É a palavra que mais se adequa ao meu estado de espírito da altura. Estava completamente apática, triste, capaz de qualquer coisa para as aulas não acabarem, capaz de quase tudo que me garantisse que voltaria à rotina de ver aqueles dois rostos todas as manhãs. Felizmente, essa nuvem negra passou. As três semanas que se seguiram foram super fixes. Dias inteiros passados fora de casa, na cidade, perto da praia ou no Porto. Ocupadíssimas. Garanti que isso acontecia. Porque assim tudo se tornava mais fácil. Agora o mês acabou. A Amelie está a mais de dois mil kms de mim e o Lid a cerca de quinhentos. Naquele fim-de-semana que descrevo em cima, este cenário traduzia-se numa simples miséria para mim, num verão de merda mesmo. Mas agora, a minha cabeça já não pensa assim. Encaro esta situação como um positivismo e um naturalismo que há uns tempos era impensável. Já escrevi uma lista de coisas que quero fazer. Estou ansiosa por as pôr em prática. Quero ocupar este verão e fazer coisas mesmo fixes e que resultem mesmo bem. Vou-vos atualizando sobre este meu projeto 'a fazer no verão 13'. Até lá fiquem fixes!

E sim, estes posts um bocado tristes e que mais parecem pertencer a um diário deverão ficar por aqui. Avizinham-se posts mais alegres!

27 de Junho, 2013

Tanto!

Inês

Podia escrever lim e um posts e ainda tinha coisas para dizer. Pensava que mal acabassem as aulas, a minha rotina de verão, que se resume a pc-tv-dormir-mais-que-seca, ia conquistar os meus dias mas não. ainda não senti esse aborrecimento característico dos dias de férias. Entre a preparação da próxima feira, a dormida na Amelie e agora a dormida na Diana, ainda não tive tempo para descansar como deve de ser. E ainda bem! Ainda bem!! Não quero parar. Não quero parar para pensar. Quando o fizer, provavelmente, venho para aqui escrever. Agora vou ali para csa da Diana trabalhar no campo! Vou apanhar batatas até não haver sol.

E, porque já deixei aqui o video do Get Lucky, vou agora postar uma atuação do vídeo do Mr. Pharrel Williams. Não me canso desta música. Há-de sempre a haver música!

23 de Junho, 2013

2ª fase?

Inês

Estou a pensar na segunda fase dos exames. Se devo ou não fazê-la. As notas que penso tirar (cerca de dezasseis nos dois) não são nada más mas, como prova de ingresso na faculdade, não são nada de especial. Haverão, com certeza, centenas de exames com notas superiores a desasseies que ficarão à minha frente e isso não me agrada porque assim a minha entrada na faculdade fica comprometida. Nas faculdades a que penso candidatar-me as médias mais baixas rondam os dezasseis e dezassetes. Visto isto, não sei o que fazer. Se vou à segunda fase, posso tirar notas melhores mas fico em desvantagem para com os outros porque também só entro na faculdade na segunda chamada. O que me aconselham?

23 de Junho, 2013

Last Night

Inês

Ontem saí à noite com a Cat e a Di. Acabamos ainda por encontrar a Amelie e a Franc e mais uns da minha turma. Depois de umas voltas pelo centro, entramos na disco mais falada da zona (onde nenhuma de nós tinha alguma vez entrado). Foi fixe! Foi altamente! Dancei, dancei e dancei! Sempre pensei que, num ambiente destes, eu não me safasse já que sou demasiado introvertida para cenas deste género, dançar e party hard com montes de pessoal por perto. Mas a verdade em que me senti bem. O ambiente de festa e música super alta contagia e uma pessoa diverte-se realmente. Eu, pelo menos, diverti-me. Cenas a recordar da noite: quando estranhos (entenda-se pessoal que estamos sempre a ver na escola mas com quem nunca falamos) pedem cenas à Cat e ela arranja assim num instante "tens um isqueiro?", "não mas espera aí" (e pede a outra pessoa e salva o rapazito) e outra "tens um lenço?" e saca de um lenço da mini-mini-mala e ficamos, eu e a Di, a rir à gargalhada porque enfim... nós não lavámos nada e ela tinha a casa ali. Foi muuuuito fixe. Gosto destes bocados de tempo bem passados.

21 de Junho, 2013

Primeira Partida

Inês

Que dia completo! Começamos por ser o primeiro dia de verão mas isso pouco me afetou. O facto de ser o último dia de escola é muito mais importante. Hoje, oficialmente, deixo de ter de me preocupar com testes, trabalhos, exames (já agora, fiz hoje exame de geografia que correu bem) e tudo isso. Como já devem ter reparado, isto não me alegra como era suposto. O fim deste ciclo traz me dois tristes acontecimentos: a partida do Lid e da Amelie. O Lid vai para o Algarve trinta e cinco dias e a Amelie parte para a Alemanha encerrando assim o seu período em Portugal, sem data de volta. A Amelie parte daqui a uma semana. O Lid foi hoje. Há duas semanas atrás senti-me, como nunca antes, verdadeiramente, em baixo, triste, deprimida quando me apercebi que o meu tempo com ele se esgotava a passos largos. A cada dia que passava, esse tempo só se tornava mais curto mas a rotina que criei de modo a ocupar-me a cabeça fez com que custasse cada vez menos. Hoje a despedida foi bastante leve até. E eu não pensava que ia ser assim mas foi. Talvez tudo ainda seja muito recente e só fique triste quando o peso do tempo e das saudades se abater sobre mim num dia em que o tempo livre seja demasiado e as paredes da sala sejam tudo o que vejo. Espero que esse dia não chegue. Vou lutar contra isso recorrendo à solução milagrosa: ocupar o tempo, a cabeça e os dias! Avizinham-se, então, arrumações e limpezas a fundo cá em casa, treinos físicos mais alongados, piqueniques, dormidas fora (Amelie!!! :D), amanhã uma saída à noite (yey!!!!) e talvez comece a mexer na guitarra (tenho uma cá em casa! porque não?). Mais há-de aparecer e continuo à procura de trabalho pelo que espero ter o mês de Julho e Agosto ocupado desta forma. See ya!

19 de Junho, 2013

Correu bem?

Inês

Sim, correu! Fiz o exame de economia hoje de tarde e correu bem sim senhora! Claro que podia ter corrido bem melhor mas não me queixarei! A parte da escolha múltipla, que treinei imensas vezes e sempre pareceu bastante acessível, foi uma desgraça, considero eu! Em dezoito, errei quatro e assim foram dois valores à vida logo! Isto não me deixou nada satisfeita. A escolha múltipla dos exames anteriores era muito mais fácil e não dava espaço para grandes erros agora a de hoje foi alta porcaria. Depois, o desenvolvimento, que pensei ser a parte mais complicada e trabalhosa, revelou-se relativamente fácil. Nessa parte, penso só ter perdido cerca de dois valores também. Visto isto, conto com um quinze/dezasseis o que não me deixa mal. Sei o que estudei e sei o que fiz naquelas duas horas e meia e sei que esta nota não me fica nada mal e, se assim for, não desço a nota final que era o meu objetivo. Está tudo fixe então! Podem voltar às vossas vidas! :P

18 de Junho, 2013

Awesome Day

Inês

Exames? Já devem estar fartos de me ouvir dizer que não ando a estudar nada. Yup. Não me vou repetir. Hoje fui para a cidade como planeado. Da parte da manhã andei pela escola e passei também um bocado de tempo lá numa esplanada com os livros à frente. De repente, recebo uma mensagem da Amelie a dizer que vai para o Porto à tarde e se eu também quero ir. Claro que quero! Nem precisam de me fazer uma proposta dessas duas vezes. Lá me preparei para ir para a paragem esperar por um autocarro que me levasse ao Porto mas nesse momento, qual não é o meu espanto quando o Lid vem ter comigo e ficamos juntos até às duas a namorar and stuff. Quando ele se vai embora, eu arrisco-me numa viagem como nunca antes tinha feito (assim de autocarro e sem planeamento e autorização diga-se) para o Porto e encontro lá a Amelie e um amigo dela alemão de dezoito anos que está também um ano aqui em intercâmbio, o Fabio. Passeamos um pouco e encontramos um austríaco super giro de vinte aninhos com quem o Fabio começou por pedir uma foto e depois a conversa estendeu-se bastante pois falavam a mesma língua (alemão). Acabamos todos por falar em inglês e visitar alguns pontos importantes os quatro. Foi mesmo super fixe. Os estrangeiros deixam-me mesmo feliz. A viagem de regresso foi outra coisa de espectacular. Perdi a minha camioneta por uns cinco minutitos e então fiquei entregue à sorte. Esperei meia hora por um bendito autocarro que passou e que ia para um sitio mais próximo da minha terra. Lá entrei mas o destino dele ainda era muuito longe. Felizmente nem tudo estava perdido. O último autocarro de todos ia para perto de minha casa!! Um pouco depois das oito entrei então em novo autocarro que me deixou ainda a meia hora a pé de minha casa. Não tive outro remédio. Lá caminhei e às nove cheguei a casa. Esta coisa dos autocarros e camionetas tem muitas limitações (horários e percursos e coisas que tais) mas ainda assim transmitem-me bastante liberdade e independência. Se quero ir a algum sitio, não há problema! Entro num autocarro qualquer e lá vou eu! Mais cedo, mais tarde mesmo ficando à seca eu adoro o facto de poder contar com eles para sair de casa e ir para onde me apetece estar. Claro que a minha mãe não acha grande piada a isto. Para ela eu passaria a vida em casa mas agora que sei que posso sair e desenrascar-me, só me apetece fazer isso. E pronto. Foi isto. Foi isto e não foi pouco. Amanhã tenho exame de economia à tarde. Ficamos por aqui.

17 de Junho, 2013

Os exames - parte 2

Inês

E agora vou um pouco contra aquilo que disse aqui em baixo. Ainda que continue a achar que os mais prejudicados (o que era mais que expectável), que são os alunos, devessem ser pretegidos dentro deste sistema não consigo discordar com o que é exposto neste vídeo. E partilho porque é o único video que achei alguma graça e com o qual concordo do famoso youtuber português Sake que, para mim, vale muito pouco. No entanto, neste vídeo ele está, realmente, cheio de razão e consegue fazer-me rir em certos momentos.

17 de Junho, 2013

Os exames

Inês

Apetece-me falar dos exames ainda que não tenha muito a acrescentar. Relativamente à polémica atual com os exames sou da opinião que o sindicato dos profs quis realmente pressionar o governo e abrir uma guerra com este na qual pode ter toda a razão (não vou discutir isso) mas não concordo com o método utilizado. O dia foi muito bem escolhido do ponto de vista dos profs pois é a altura que tem mais impacto mas os mais prejudicados são os milhares de estudantes e penso que estes deveriam ser 'protegidos' mesmo que os profs tenham as suas razões. A igualdade foi-se por água abaixo e acho isso das coisas mais injustas. Na minha opinião, deveriam ser anuladas todas as provas e dia 2 de Julho lá se faziam os exames de português sob as mesmas condições para todos os estudantes (ainda que não gostasse disso se fosse eu uma aluna que tivesse hoje realizado a prova).

Quanto aos meus exames, bem, sou uma vergonha. Mas não me sinto tão mal quanto me deveria sentir e isso até certo ponto me preocupa. Muito honestamente, só estudei mesmo em condições duas manhãs, sexta e hoje, num total de cerca de seis horas. E tudo isto foi para economia. Limitei-me a ler todo o livro de preparação para exames e fazer uns quantos exercícios de provas-modelo, muito escolha múltipla e algum desenvolvimento. Ainda não fiz nenhum exame de anos anteriores mas penso tratar disso daqui bocado. Revi, portanto, todos os conteúdos do ano passado e deste ano mas não fiz nem resumos nem esquemas que é algo que eu faço sempre. Mesmo sempre. Basicamente, acho que me estou a preparar menos para o exame do que se de um teste normal se tratasse mas pouco me importo. O fim das aulas acaba também com qualquer vontade que eu tenha em estudar. Para combater esse desleixo, tenho ido todos os dias da semana, desde que as aulas acabaram, para a cidade, estudar em cafés ou em sítios ao ar livre mas como já disse em cima, estudo a sério foram só duas manhãs pelo que de resto andei a passear e a deprimir sozinha ou então a divertir-me à grande com a Amelie. Não me sinto assim muito mal porque à minha volta vejo um cenário idêntico com a maior parte dos jovens que conheço e também porque... olha, se não me apetece, não me apetece. Claro que o exame pode ser alta porcaria e correr horrivelmente mal (entenda-se tirar menos de quinze porque aí já baixo a nota e isso é que não me apetecia nada) mas nesse caso, não se preocupem que não me queixarei. Tenho completa noção das minhas ações e assumo a responsabilidade por elas (ainda que me custe bastante claro). Em relação a geografia, tenho ainda menos a dizer. Durante a semana passada, fui a três apoios de geografia onde se relembraram conteúdos do ano passado a um nível bastante profundo até. Espero que essas matérias tenham ficado na minha cabeça. Ainda não as testei. Conto fazer isso amanhã e quinta. Tirando esses apoios, só revi mesmo testes do ano passado e nada mais. Está ainda pior que economia mas em termos de facilidade, considero o exame de geografia bastante acessível pelo que estou pouco preocupada. É isto.

Ouçam aí músicas que penso que todos nos lembramos que encontrei ontem aí pela net e que são super fixes:

Ah! Devo ter por aqui leitores do décimo segundo. O que me dizem acerca desta polémica dos exames e da greve? E, para o caso de terem tido a sorte de realizar os exames, como correu?

Pág. 1/2