Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

18 de Setembro, 2013

Sabe tão bem aprender!

Inês

Hoje conheci a minha profª de geografia deste ano. Adorei-a. Adorei o estilo descontraído e entusiasmado da profª a explicar os conteúdos que vamos dar este ano. Escolhi geografia porque realmente me interessava pelo programa (geopolítica - aborrecido para uns, awedome para outros como eu) mas todos sabemos como um professor pode estragar o amor que temos por uma disciplina ou certa matéria. Há professores e professores e alguns não o deviam ser. Esta parece-me super fixe! Senti-me, verdadeiramente, entusiasmada para ouvir mais do que ela tinha para dizer acerca dos conflitos políticos e da globalização. Infelizmente, isso é-me estranho. Não porque sou uma aluna desinteressada (não o sou) mas porque os professores não costumam cativar assim os alunos, limitam-se a dar a matéria, uns tentam fazê-lo de forma mais ou menos divertida outros nem isso mas esta foi além disso e eu gostei.

18 de Setembro, 2013

"Bom Dia!"

Inês

Uma conversa há uns tempos com o meu irmão pôs-me a pensar no meu papel nesta comunidade. Era disso que falávamos quando ele disse que não se importava minimamente quando dizia "bom dia" e não obtinha resposta. Isso é uma coisa natural no meu irmão. Ele cumprimenta qualquer pessoa que vá na rua, a caminhar ou a correr e esteja na "sua área" como lhe chama. Eu não sou assim. Não sou de passar por uma pessoa e lhe desejar bom dia sem razão. No entanto, gosto quando o fazem comigo, que me desejem 'bom dia' ou 'boa tarde' porque sinto que sou notada, que existo, que os outros me conhecem e a minha presença faz diferença. Adoro um 'bom dia' e fico ainda mais bem-disposta se rematarem uma destas mini-conversas com 'tudo de bom' ou 'felicidades!'. E, então, se isto se passa do meu ponto de vista porque é que também não o faço com as outras pessoas? Um sorriso, um pequeno comentário sobre um tema qualquer, algo que me faça sair da minha 'bolha' e obrigue também a outra pessoa a fazer o mesmo e a interagir porque isso é das coisas mais importantes e mais simples também. Fica bem e, sobretudo, deixa-nos bem-dispostos, alegra-nos ainda mais se o dia estiver a ser bom ou distrai-nos se estiver a ser mau. Vivo numa comunidade relativamente pequena onde até há bem poucos anos todos se conheciam e este tipo de mini-conversas eram mais que frequentes. Foi um hábito que se perdeu na nossa geração. Cada um vive na sua e não há a mínima preocupação em interagir com as pessoas estranhas que nos rodeiam. Acho que isto muito negativo. Por isso e porque esta conversa ficou realmente na minha cabeça, agora logo de manhã, solto um 'bom dia!' mais ou menos animado para as trabalhadoras da minha paragem e para o motorista quando o autocarro chega, coisa que antes nunca fazia. Obtenho respostas que me animam e me fazem bem. Recomendo esta pequena mudança no vosso dia-a-dia se já não o fazem!

17 de Setembro, 2013

A minha turma

Inês

Se há dois anos mal nos conhecíamos e os grupos eram mais que evidentes hoje não se pode dizer cem por cento o mesmo. Conhecemo-nos bem, muito bem mas numa coisa voltamos atrás: os grupos existem. Novos grupos, mais que óbvios. O retrato da minha turma não podia ser mais simples: temos "os rapazes" - são, basicamente, todos os rapazes da turma, estúpidos e infantis como só os rapazes, e sem grande beleza diga-se -, "as chibas" - são as três raparigas giras, sempre bem arranjadas (demais na minha opinião) que abusam dos calções curtíssimos, rendas e transparências para mostrarem o que têm de melhor -, "os fixes" - a Carolina e os quatro rapazes mais giros, inteligentes e divertidos, sendo que a Carolina também partilha estas características -, "as outras raparigas" - quatro que estão um tanto ou quanto isoladas do resto, são porreiras mas só isso e depois temos eu e a Catarina que somos apenas eu e a Catarina sem grandes especialidades. É isto. No ano passado, os grupos misturavam-se um bocado nos intervalos e almoços para os jogos de cartas e poker mas este ano vejo isso muito longe de acontecer e isso entristece-me como poucas coisas nesta vida.

16 de Setembro, 2013

A rotina

Inês

Recomeçar a rotina não me custa tanto como apregoam. Custa-me muito mais mantê-la. Acordar às seis e meia da manhã só se torna complicado para aí na segunda semana. Até lá, vou-me lavantando, mais ou menos, facilmente.

16 de Setembro, 2013

Back to School

Inês

Tenho muita coisa para dizer. Há dias que ando a fazer textos mentais mas depois acabo por nunca escrever nada efetivamente. E agora também não é que tenha muita vontade de escrever nem de organizar as ideias. Este verão foi excelente. Como nunca antes. Nem de perto nem de longe. Quase que posso contar pelos dedos das mãos, os dias que fiquei em casa o que é o que se quer. Ficar em casa, para mim, é correr para o abismo. Mas pronto. Foi tudo fixe. Andei em alta mas, e porque isso já se fazia sentir há talvez demasiado tempo (nunca acharei que sentirmo-nos bem será demasiado mas a necessidade de sofrer é uma questão com que me debato bastante, ficará para outro post), nas duas últimas semanas, tenho-me sentido mais em baixo. Andei o verão inteiro com vontade de voltar à escola, às pessoas, àquela rotina e depois toda essa vontade se dissipou. Fiquei nervosa e ansiosa. Senti o fim do tempo no liceu cada vez mais perto, a aproximar-se a uma velocidade louca. Senti e sinto que não quero que acabe assim tão depressa esta fase da minha vida, que ainda tenho muito para viver naquela escola. Sinto que não quero que passe mais um ano. No fundo, podia ficar por aqui. Ter dezoito anos assusta-me agora. Dezoito anos? Faltam meses para tal acontecer. Não os quero já. Estou bem com dezassete. Enfim. Sinto que não quero crescer. Parece parvo de se dizer mas estou tão bem assim. Mas pronto. Voltando ao post, voltei à escola. Só amanhã isso será mais oficial com as aulas e tudo o mais. Este ano é diferente, as aulas são muito menores, o tempo na escola também, já não haverão longos almoços com os colegas e com o resto do pessoal. Parece-me que vai ser um ano sem a componente de turma e a união a que me habituei. Ou então não. Amanhã vê-se. Mas, por enquanto, estou assim.

13 de Setembro, 2013

Justin Timberlake

Inês

Há algum tempo que gostava de falar do Timberlake aqui no blog. Não me considero uma critica de música (pelo menos daquelas que fazem artigos todos catita) mas informo-me o suficiente para ter uma opinião critica acerca do que mais se ouve e não só. No mundo atual da música, o pop denomina, não há quaisquer dúvidas e dentro deste pop atual, não há lugar para muita originalidade, infelizmente. Os artistas copiam-se uns aos outros constantemente nos mais variados aspetos no que diz respeito a ser um artista: letras, melodias, imagem... enfim! A originalidade e criatividade perderam-se, de facto, o que é triste porque não deixa muita margem de escolha para nós, ouvintes e apreciadores de boa música. No entanto, há que salientar a exceção à regra (estou certa de que haverão mais mas tão mainstream como ele, não). Justin timberlake. Esse gigante, multifacetado, personalidade das últimas décadas tanto mundo da música, como da dança e do cinema. Como ele, há uns quantos mas penso que só ele mantém a essência dos seus trabalhos e a popularidade que outrora alcançou. Com o seu Suit & Tie (onde podemos vislumbrar um pouco de I'm Bringing Sexy Back!), Justin mantém a elegância, o ritmo, a sexyness de outros tempos, dos tempos onde ele reinava and guess what? continua a reinar! Claro! Resta-me dar os parabéns por assim ser já que é algo raro ainda que ache que este devia ser um caminho natural para qualquer artista.
11 de Setembro, 2013

Regresso às aulas?

Inês

Deste lado o verão ainda não acabou, nem as férias! Os dias têm sido de praia. Praia muito boa, de rio, com pouquita gente a incomodar, apenas na companhia da minha mom que também é preciso. E porque tive a sorte de este ano de as minhas aulas só começarem na terça e a apresentação ser tão tardia, na segunda, continuo em modo férias até lá! Amanhã sigo para campismo! Uma tradição que se tem perdido ao longo dos anos na minha família mas, recuperamo-la este ano por uns curtos dias. Ainda assim, é campismo e eu adoro! E, porque nem eletricidade levamos, vou estar afastada do mundo virtual e, por isso, vou-me vingar agora e ver uns quantos criminal minds.

See ya!

08 de Setembro, 2013

Assusta-me pensar que

Inês

daqui a um ano posso ser uma das muitas bloggers a partilhar a notícia de uma nova caloira numa qualquer faculdade. Esse futuro está tão próximo. Um ano! Passa tão rápido! Dois na secundária, onde ainda 'ontem' estava a entrar assustada com a nova vida no liceu, passaram a voar e agora o próximo grande passo em vista é a entrada na faculdade. Jesus! Estarei eu, daqui a um ano, prestes a fazer tal coisa? Nada me impede, exceto a minha vontade.