Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

22 de Novembro, 2014

Cansada

Inês

Estou cansada. Cansada desta semana. Cansada dos ensaios para o Grito. Dos meus veteranos e daquela mestre. Das noites que já perderam quase toda a piada. De gritar e berrar pelo meu curso. A praxe foi das melhores coisas que já me aconteceram e não retiro isto que digo mas tem me deixado completamente arrasada. A carga horária e o compromisso que eles exigem deita-me abaixo, esgota-me as forças, desconcentra-me de tudo, faz-me perder as tardes, as noites e os dias seguintes. Este deve ser aquele ponto que os de segunda matrícula falavam connosco sobre uma vontade enorme de desistir e nos aconselhavam a sermos fortes e continuar porque, todos dizem, vale a pena. E também eu digo com toda a convicção: vale mesmo a pena. Sei-o. Conheço o orgulho. Sei que isto é só uma fase. Não quero desistir. Só quero uma pausa. Quero mais tempo. Quero um tempo melhor que detesto esta chuva e este frio. Quero deixar de ter testes. Quero cozinhar com tempo, sem pressas, sem pressões, sem conversas de circunstância que me obrigam a sair da minha zona de conforto. Adoro tudo o que tenho, quero tudo o que tenho e ao mesmo tempo não é nada disto. Merdas.

20 de Novembro, 2014

Contas para aqui, contas para ali...

Inês

Ao final de um mês sou capaz de gastar, à vontadinha, trinta euros por mês em café. Se comesse na cantina a todos os almoços eram cinquenta só para isso. E se juntasse os meus jantares de sopinha com sopinha aumentava uns dez euros essa conta. Na CP gasto uns vinte euros. E mais vinte eurinhos para o supermercado. Pegar na carteira e tirar umas moedas ou mesmo umas notinhas tem sido situação constante. Controlar os gastos tem sido um desafio. Logo eu que sou tão forreta. Não gasto em roupa, nem em tecnologia nem em merdinhas que poderia oferecer a mim mesma assim de vez em quando. E depois gasto em comida, em cafés, em cappucinnos, em chocolates e bolos. Que treta. Aprende-se a cada semana. E desaprende-se na semana seguinte. É difícil caraças.

07 de Novembro, 2014

Gestão de tempo more like mandar Álgebra pró caraças

Inês

Esta semana tenho o primeiro teste do cadeirão deste ano, Álgebra Linear e Geometria Analítica mais conhecida por Sra. Dona ALGA. Metade dos que têm assistido às aulas desta cadeira são repetentes, alguns a tentar fazê-la pela terceira e quarta vez. A matemática ali tem outro nível, bem abstrato, bem complexo. Os números passam a letras e inventam histórias que eu não acompanho. Como qualquer matemática, para ser compreendida é necessário ser praticada e é aí que estou lixada. Não tenho tempo para fazer um estudo decente para esse teste que é daqui a menos de meia dúzia de dias. Dois dias depois tenho outro teste, esse de Contabilidade e dois dias depois, guess what, novo teste de Economia. Entretanto há um Grito Académico que é preciso ganhar e que gasta tempo. Muito tempo. E não digo isto com nenhuma mágoa ou receio. A praxe é das melhores coisas que tenho vivido, o Grito foi dos melhores momentos por que já passei desde Setembro. A verdade é que a praxe rouba muito tempo ao que devíamos canalizar para as cadeiras mas também é bem verdade que nos dá muito em troca, dá-nos o que eu não troco por grandes notas. Sinto que preciso de ter bem a noção do que ando aqui a fazer, do que consigo, de facto, fazer. Sei que tenho que aliar as minhas prioridades da melhor maneira e se há coisa que a universidade ensina é a gerir o tempo (ou então não que vejo muitos perdidos por aí). Se tiver que fazer a escolha consciente e antecipada de deixar uma cadeira para trás para conciliar melhor as minhas atividades e o estudo para as outras cadeiras e fazer o melhor que consigo a essas restantes então é isso que farei. Porque ALGA cá estará para o ano e certas coisas não voltarão a acontecer.

02 de Novembro, 2014

E começares a cozinhar Inês Maria?

Inês

Se houve coisa que me fez ter vontade de sair de casa foi a questão alimentar. E agora que saí tem sido das maiores desgraças da minha vida. Pão todos os dias e mais do que uma vez, chocolates, bolos.. nunca pesei tanto como agora. Ah caraças! É preciso mudar isto. Tentar, fazer o esforço pelo menos que me parece que o meu cérebro desistiu sequer de tentar impedir-me de comer a mais e porcaria. Há que cozinhar em casa para evitar comer fora baguetes que já enjoam. Cozinhar a altas horas ou bem cedo de manhã se assim for preciso. É que uma cozinha de poucos metros quadrados e três fogões para quartenta pessoas enche-se de tal forma a partir das oito da noite que eu só de olhar perco vontade de me juntar à confusão. E digamos que, numa residência onde sou a única caloira e de economia, não tenho grande ligação com aquele monte de gente. Que o espírito de healthy life style esteja comigo!