Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

31 de Janeiro, 2015

Lição nr.7486754765

Inês

Isto é tudo uma aprendizagem. É das coisas que mais tenho pensado nos últimos meses. A cada semana 'aprendo' algo novo. Ora sobre mim, ora sobre os outros, ora sobre todo este sistema que nos envolve. Passei de achar que nunca ia fazer o curso, para achar que até conseguia passar com dez porque 'o que importa é passar' para acreditar agora que fazer o curso com média de dez é uma bela merda. Fazer mestrado é uma possiblidade quase certa e, para manter abertas todas as opções (nomeadamente fazer mestrado noutra instituição ou em Erasmus), tenho que ter uma bela média de pelo menos catorze valores. E, neste momento, com um semestre passado, estou bem longe disso. Inês, aprende. No próximo semestre, é ir às aulas e estar atenta! Meio caminho andado. Ficar à frente e entender a matéria na hora. O resto é acessível. Aprende Maria Inês!

26 de Janeiro, 2015

4 4 4 4 4 4 4 4 4 4

Inês

Quatro aninhos que este blog faz hoje. Que beleza! Para quatro anos já ouviu falar de muita coisa e está assim um pouco para o dark mas é só para o estilo. Cenas à parte, nos entretantos do tempo que passou, posso orgulhosamente oficializar a aprovação a todas as cadeiras do semestre, do primeiro, às primeiras cinco do curso, faltam então exatamente vinte e cinco para ter a licenciatura na mãe. Coisa pouca... Possível! A verdade é que entrei na universidade a pensar que fazer isto não ia ser problema para mim, era uma aluna com boas notas, continuaria a sê-lo. Ao fim das primeiras duas semanas o terror caiu sobre mim tal era a quantidade de matéria que tinha para estudar. Agora que penso nisso até dá vontade de rir. Duas semanas? E a matéria no final do semestre? É outra categoria. Em três meses ganhei uma responsabilidade para o estudo enorme e tenho noção que ainda não é nem está perto de ser a ideal. Mas as coisas vão-se fazendo. Não é com dezoito mas é com dezes, onzes e dozes e uns catorzes que também apareceram. E com notas ainda melhores, espero futuramente poder afirmar, porque as melhorias existem! Noutros entretantos mais recentes, fui e voltei da Alemanha alegremente mas isso fica para outro post que contar tudo neste não tem piada.

14 de Janeiro, 2015

Ah e tal daqui a dois dias... fui.

Inês

No final do ano passado falei com a Amelie, que está na Alemanha lembram-se?, encontrei uma promoção na ryanair e aqui vou eu uma semaninha para terras de Merkel logo a seguir a um exame e, possivelmente (espero bem que não), em vésperas de um recurso. Mas vou. Viagem mais planeada em cima dos joelhos não me lembro. É ir porque sim, porque dá e porque quero e pronto. A minha mãe não gostou lá muito da ideia mas conformou-se como se conforma com tanta coisa (pelo menos não fujo à regra). Ir de avião sozinha, à noite, numa viagem de três horas, ainda vá... Agora ir de autocarro e metro até ao aeroporto sozinha em plena luz da tarde? Isso é que não! "Vais com o teu pai, que tire uma tarde e que te leve" disse ela. E pronto. Ele concordou. E eu vou sexta já não durmo em casa. Estou só a uns kms de distância.

04 de Janeiro, 2015

O meu cérebro fritou

Inês

Estudei cerca de cinco horas e meia hoje. Posso, contentíssima, não fosse a dor de cabeça gigante, dizer que foram horas produtivas! para o grande exame de quarta. O primeiro assim mesmo importante e à séria, em época de exames e tudo, do qual toda a gente tem medo e tal e se tirar 9,5 pulo de alegria tal é a improbabilidade de isso acontecer. Mas devo dizer que com um bocadinho de sorte nos conteúdos sou capaz de me safar mesmo fazendo o exame para dez/doze valores que era coisa que não esperava. Embora passe todos os santos dias a crucificar-me mentalmente por não estudar o suficiente, a verdade é que consegui estudar nas férias e, muito honestamente, planos e sonhos à parte, não julgava conseguir isso. Passar já não me parece tão impossível e isso alivia-me. À parte deste grande acontecimento na minha vida, hoje deixei queimar o hamburguer de perú porque aquilo estava rosa demais para o meu gosto e quando fui a ver já estava era preto. Mas comeu-se bem.