Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

As minhas férias resumidas:

por Inês, em 27.01.16

- dormir muito (double digits here);

- ver muitos vídeos no youtube (obrigada ellen, jimmy fallon, james corden e jimmy kimmel por existirem);

- limpar, arrumar, redecorar, pôr as coisas a brilhar e outras coisas acabadas em ar;

- ter muita vontade de ter a carteira cheia para poder subsistituir os pontos anteriores por "passear muito e ir ao cinema";

- estar tão entediada mas tão entediada que começar a estudar para melhorar um 15 (mas onde é que isto já se viu?) na sexta até parece uma excelente ideia.

É isto. Que bom é estar de férias!

Erasmus ali tão à vista

por Inês, em 19.01.16

O plano é fazer Erasmus no primeiro semestre do próximo ano. República Checa é o destino e um monte de coisas boas são esperadas nesses quatro mesitos. Mas há dias que, muito honestamente vos digo, pensar na ideia de estar tão longe de casa, da minha mãe, irmão de irmã me custa tanto! Só penso que a possiblidade de acontecer alguma coisa nesse período existe e no quanto me iria custar pensar que perdi os últimos dias com alguém tão próximo que partiu. Nem sequer posso pensar muito nesse cenário. "São só três meses, Inês. São só três meses. Vão ser uns fantásticos três meses na tua vida."

Esta merda que é a passagem de ano

por Inês, em 01.01.16

Eu odeio a passagem de ano. Isso deve ser, quase de certeza, porque nunca me diverti nem aproveitei a folia desta noite como os demais. Passados dezanove anos, também esta última noite confirma a minha inaptidão para desfrutar desta data "tão especial". Ontem os fdp do fogo de artificio (sim, fdp, o meu ódio de estimação pela "pda" é tão elevado que me faz dizer asneiras) acordaram-me à meia noite, pois claro, quando eu estava num bom sono depois de ter o dia mais triste de 2015 porque a vida é triste e este mundo cruel. Depois voltaram as já habituais insónias e eu peguei nos livros para um estudo intensivo até às seis da manhã. O que vale é que o sucesso de uma noite não define, nem de longe nem de perto, o decorrer de um ano. Não faria sentido outra coisa.