Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

02 de Janeiro, 2023

2022

Inês

Em 2022:

- deixei de pôr açúcar no café de um dia para o outro
- apaixonei-me e desapaixonei-me
- voltei a apaixonar-me por outra pessoa e nunca na vida tinha amado desta forma, tão recíproca e intensa
- passei mais do metade do ano em overthinking
- vi ao vivo: Joana Marques, Guilherme Duarte, Sinel de Cordes, Dua Lipa, Maluma, Vitão e Arctic Monkeys
- fiz dezenas de viagens a Lisboa de autocarro e comboio, mais de 6000 kms
- gastei praticamente todos os dias das minhas férias com o R. e nunca imaginaria tal coisa no primeiro semestre do ano
- ouvi muito Artic, Billie, Ivandro, Rosalia, Vitão, Beyoncé e, claro, Shakira
- apanhei covid pela segunda vez e quase que aposto uma terceira, agora no final do ano

- vivi muitos dias cinzentos mas também dias com cor
- fui a duas feiras internacionais em trabalho, Paris e Madrid
- fui a Vigo e essa foi a única vez em que andei a passear no estrangeiro
- explorei a costa oeste até à Nazaré e o norte até Valença, passei a conhecer muito melhor Lisboa e o Seixal, Sesimbra, Meco e Setúbal
- não poupei praticamente dinheiro nenhum

- foi-me atribuído o carro da empresa (e o cartão da galp yey!)

- venci a procrastinação (embora tenha sido derrotada muitas mais vezes) e consegui que o meu Outlook profissional viesse a zeros (acreditem vitória!)
- reaprendi a respirar tanto no boxe como na meditação e nos pilates
- fiz várias formações: Inteligência Emocional, Espanhol e Nutrição (lol, esta ainda não conta porque não assisti a nenhuma das aulas)
- roí muito as unhas mas também consegui deixar de roer
- nasceu o Francisco!
- instalei e desinstalei o Tinder bueda vezes
- conheci pela primeira vez um rapaz com quem só falava online e outro do Tinder (não houve segundo date em ambos)
- fui a um motel e a um clube
- andei o verão todo de vestidos e saltos altos
- tive candidíase
- uma das melhores amigas teve um esgotamento nervoso
- tive as primeiras consultas de psicologia
- fui fiel ao blog, do início até ao fim

Olho para trás e não consigo definir se 2022 foi ou não um bom ano para mim. Não sou pessoa de estabelecer objetivos nem de listar os 12 desejos nem nada disso. Sou naturalmente desorganizada e planeio pouco as coisas. Muitas vezes corre-me mal. Noutras nem tanto. Talvez esteja com o espírito enviesado a escrever estas palavras (até porque já estou na parte do ciclo que não me favorece) mas reflito sobre os últimos doze meses e não consigo mesmo quantificar. Foram muito intensos. Estive triste muitas vezes mas também fui feliz outras tantas. E muitas mais do que eu imaginaria e até de formas e com pessoas que, em janeiro de 2022, não podia sequer pensar. - por isso é que não vale a pena planear nada, de facto. Em 2023 tudo pode acontecer. Muitas coisas boas e muitas coisas más. Há muitas portas abertas, vários cenários, várias pessoas, diversas possibilidades. Depois de tudo, e apesar de tudo, o que importa é o espírito. E esse é o meu único desejo. Conseguir ter o espírito certo.