Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 24.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 24.

25 de Maio, 2021

Açores em Maio de 2021

Inês

Fui à Ilha de São Miguel nos Açores meio empurrada por uma amiga. Calha de termos que tirar férias na mesma semana e ambas nao tínhamos grande plano. A verdade é que depois do que aconteceu à minha Fofinha, a minha vontade de sair de casa diminuiu muito (quase inexistente na verdade). Pior ainda passar noites fora. Nada a ver comigo mas vê-la sofrer bateu-me fortemente. Quero estar perto dela e tomar conta dela o máximo que puder. De alguma forma, isso tornou-se mais importante que viver a minha vida nas minhas pequenas aventuras longe de casa. Mas bem, havia férias para gastar e uma amiga que queria muito fazer algo e tínhamos um plano pendente pelo que marcamos viagem. É engraçado que sempre que partilho uma viagem com alguém me lembro várias vezes o porquê de gostar tanto de viajar sozinha. Isso poderia ser sinal que de facto eu gosto mais de viajar sozinha do que acompanhada. Porém, não posso concluir isso logo de caras. Há vantagens e desvantagens em ambos os casos. Em cada um deles me iria lembrar das vantagens do outro. No geral, a companhia foi boa. Há histórias para partilhar, outras coisas que talvez tenham ficado por viver mas ainda há muito tempo pela frente e eu gosto de voltar aos sítios que gostei portanto uma revisita noutros termos não está, de todo, fora de questão.

Os Açores são um encanto. Um jardim grande, organizado e limpo, no meio do oceano. Uma meteorologia engraçada que nos surpreende e faz-nos quase sempre passar frio ou calor. Muito verde e azul. E branco do nevoeiro também. Um sítio calmo de banhos quentes e paisagens incríveis mesmo numa simples viagem de carro. Ficou-me na memória uma frase de uma das poucas pessoas com quem falamos (infelizmente) que, em resposta a um "queremos ir lá mas tem estado sempre nevoeiro e assim não vemos nada" da minha companheira de viagem, disse "não importa ver, importa viver, vão lá na mesma". Senti falta disso. Muitas paisagens incríveis, muitas fotos bonitas mas falei pouco com as pessoas. Se tivesse ido sozinha teria falado muito mais. Fica para uma próxima.

 

6 comentários

Comentar post