Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

13 de Maio, 2022

Ainda, tu

Inês

Acho que não te apercebeste mas ao longo da noite foste referindo várias coisas em que estás diferente e que foram motivo de tantas discussões que tivemos no passado. Um verdadeiro debate de forças e passados seis anos eu tinha razão. Tive que me esforçar um bocado para não dizer que after all eu é que estava certa mas lá me controlei porque não vale de nada. E enfim. No final de contas eu sei que tinha razão e tu agora sabes que eu a tinha. Já não achas estranho pagar à vez em vez de dividir as contas ao cêntimo por mbway; já entendes que não se devem comparar performances sexuais de ex com as atuais, sobretudo se for para dizer que a outra era melhor; já estás independente o suficiente para não ir jantar todos os santos dias à casa dos avós (quando isso no nosso tempo até significava ficarmos uma semana sem nos vermos se fosse preciso). Gastei tanta energia a tentar mostrar-te que era doutra forma e agora ela leva a versão melhorada sem se ter esforçado. Mas eu sei que as relações não se medem nem avaliam assim. É só um desabafo aqui que ninguém nos ouve. Eu sempre disse que eu tinha sido o test drive e agora devias fazer melhor. Mas eu também aprendi muita coisa. Tornei-me mais minha, mais independente, deixaria a relação respirar mais agora, focava mais nas coisas boas. Não seríamos o que somos sem termos passado por aquela relação que tantas vezes não passou de uma ralação. Agora somos versões melhoradas para quem vier. Mas dá que pensar se uma terceira relação entre nós não resultaria. Eu sei, tentamos uma segunda e não deu. Mas sei lá. Na realidade eu quase que aposto que o facto de tu teres múltiplos interesses amorosos e eu ter zero, faz-me querer-te novamente. É o básico das relações e das pessoas. E eu aqui sou muito básica. Eu adoro o jogo do início. É o que me dá pica, o que me interessa e o que me move. É o que me tira o sono e me deixa a daydreaming. Gosto de desencaminhar, de transgredir, de sair fora das linhas e de desalinhar os outros também. Mas o que vivenciamos não se explica. Já tiveste as hipóteses de teres outras e não tiveste. E comigo passaste a noite. Portanto também acho que não te sou indiferente. Ou lá está, comigo é mais fácil. Com as outras ainda seria um desafio (e vai ser). E voltar onde já fomos felizes é sempre bom. Também acho que secalhar só quero voltar a ter um amigo. Um contacto que sei que está disponível. Eu detesto despedidas. Recuso-me a despedir de ti também. Quero voltar sempre que quisermos. Não me interessa quem habite em ti.