Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

02 de Abril, 2022

As voltas que a vida dá

Inês

Comecei a trabalhar em 2017 e rapidamente me vi parte do autoproclamado Grupo da Cantina. Éramos aqueles que almoçavam todos os dias, religiosamente, na cantina da empresa e como éramos poucos - só seis pessoas - ficámos próximos. Éramos amigos, sobretudo três de nós que partilhávamos a mesma faixa etária e alguns interesses. Os restantes colegas da empresa (todos bastante mais velhos) gozavam um pouco connosco porque passávamos as horas a rir e dávamo-nos muito bem (talvez demasiado bem para o workplace). Éramos os happy fools, literalmente, daquela empresa. A nossa cumplicidade e empatia era, de facto, muito boa. Depois os anos passaram (embora não pareça porque o covid nos roubou dois anos num piscar de olhos) e foram entrando pessoas e saindo outras... Saiu a Deb porque se fartou e quis mudar de vida (e mudou!), depois saiu a D. Maria para a reforma. Entretanto entrou a Sil. que também já saiu porque arranjou melhor e nos últimos meses fomos presentados pelo Nu. e a R.. Mas agora saiu o Ser. e esta saída custa mais. Porque o Ser. entrou praticamente ao mesmo tempo que eu e que a Ju e nós os três éramos um núcleo. Apesar que nos últimos meses eu estive mais afastada porque tive maior necessidade de almoçar em casa e o covid também nos retirou muito do tempo que partilhávamos em conjunto. E nos últimos tempos tanto que mudou! Entrou muita gente nova, mudaram-se gabinetes, mudaram-se funções... Somos levadas mais a sério mas realmente perdemos muitas das graças que tínhamos. A saída do Ser. deixa-me realmente com pena, sobretudo, pela forma como foi feita. Quero acreditar que ele também o quis. E depois porque o núcleo se quebra desta forma. Acabou-se o JIS. Já sei como isto funciona. É muito bonito dizer que as amizades se mantém fora da empresa mas já conheço a realidade e, sobretudo, a minha realidade e deixando de haver tema no dia-a-dia, já não vai haver nada para manter a conversa. Haverão outros colegas a entrar, outros grupos de whatsapp a serem criados. E tu Ju, terás lugar na empresa enquanto quiseres. Surpreendentemente para mim e para muitos, eu não me vejo a sair (mas bem, esta saída abrupta só prova que não há mesmo garantias para ninguém) e também não te vejo a sair. Talvez daqui a uns anos. Talvez. Até lá, o JIS passa a JI. A tríade passa a parelha. Mais afastada do que outrora mas prometendo a aproximação. Porque a vida é assim e em quase cinco anos já cabem alguns ciclos. E agora começa um novo, para todos.

E é bom ver que para todos os invernos há um início de primavera que lhe segue. Uma forma bonita de o planeta dar sentido à vida.

Sol, sonos tranquilos e Harry Styles. Curiosamente, com um "as it was" bem apropriado ao feeling desta semana.