Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

19 de Julho, 2022

Bem-vindos 26

Inês

No passado domingo foi dia 17 de julho, neste caso, de 2022. Esta é uma data particular que, na maior dos anos anteriores, tenho temido. No dia de aniversário há uma pressão para celebrar e estar feliz. E por causa disso eu sinto-me triste. Este ano já me sentia diferente. Talvez por no ano passado este dia ter sido tão mau e irrelevante, dseta vez quis agarrar as rédeas da situação e marcar um ganda jantar com a minha família. Marquei restaurante e até mandei fazer um bolo. Quanto à celebração em si, eu não podia ter pedido por melhor. Foi maravilhoso. Juntei vinte pessoas que não se juntavam há anos (porque famílias e muitas chatices) e, provavelmente por estarem todos mais velhos e a ver o tempo passar rápido, a boa-disposição foi geral e o sentido de união único. Pessoas que mal se falavam, riam juntas e abraçavam-se. O meu maior presente foi esse mesmo. Correu tudo bem e não podia estar mais contente com isso. Senti mesmo felicidade quando vi pessoa a pessoa chegar. Senti aquele quentinho bom e o sorriso a cobrir a cara toda. Fiquei mesmo contente.

Perguntava-me o meu irmão como é que fiz este ano para ter uma atitude tão diferente perante o dia de aniversário (pois ele já sabe que ambos desgostamos deste dia). Respondi-lhe, muito honestamente, que estava farta dos 25 e portanto que viessem os 26. É exatamente isso que tenho vindo a sentir. Este último meio ano foi bastante chato de passar (to say the least) e só quero que passe. Foi um inverno demasiado longo, em vários sentidos. Entrar no verão foi quase que uma novidade para mim, senti como se já não me lembrasse o que era verão e sol e calor e brilho e vida leve. Claro que dizer que agora a página dos 26 é que vai ser diferente é ingénuo e faz pouco sentido. A ver vamos mas vontade para que seja, há!

Despedi-me dos 25 com uma semana excelente em que voltei a um lugar onde já fui muito feliz e essa felicidade repetiu-se. Despedi-me dos 25 anos a partilhar com as amigas segredos guardados há anos e que foram recebidos sem julgamentos. A celebrar com elas e com uma velinha usada no meio do Marés. Tive saudades do R. mas a memória desta noite é feliz.

Entrei nos 26 de salto (e ainda não voltei aos rasos), de vestido a sentir-me senhora de mim, a esforçar-me para meter a minha vida nos eixos, a sentir-me livre.

E entrei nos 26 com um dos melhores orgasmos de sempre, absolutamente sozinha, só com um brinquedo novo que comprei. Fds, se felicidade não é isto!

2 comentários

Comentar post