Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

24 de Maio, 2022

Covid 2.0

Inês

Não consigo precisar como apanhei o bicho desta vez. "Desta vez" sim porque é a segunda vez que me vejo encovidada. Pode ter sido no ginásio ou num Sá de Bandeira esgotado de gente, no trabalho ou quem sabe no supermercado ou no shopping! Isto sem máscaras e numa vida que está praticamente normal, é difícil descobrir. É verdade que eu tenho feito a vida normal e sem a máscara. Estava ao corrente dos riscos (apesar de já nem ser obrigatório segundo as normas da DGS) mas uma pessoa percebeu que usar máscara é muito mais saudável num mundo em que andam por aí tantas bactérias e vírus nojentos. Porém, eu sou toda pela liberdade e pelos seus riscos e portanto entreguei-me à vida pré-2019. E sim, tinha aquele pressentimento que mais tarde ou mais cedo o bicho havia de me bater à porta novamente. Sobretudo depois de há uns fins-de-semana ter ido às galerias do Porto e entrado em bares e discotecas. I mean, qual a probabilidade de aqueles sítios não terem algum pessoal contaminado? Era mínima... Não creio que foi aí (ou então o covid está a demorar mais a encubar e eu já me perdi nos timings de encubação e sintomas, etc) mas em algum sítio foi. E portanto cá estou eu cheia de espirros, tremores, tosse e ranho no nariz. Ontem e anteontem foi pior com dores de cabeça, de garganta e aquele estado chato quase a tocar no febril. No domingo de manhã senti-me doente e como normal lá fui fazer o teste. Não houve margem para dúvidas. Os dois risquinhos surgiram logo. A minha maior preocupação é não passar à minha madre que tem uma saúde débil mas como ela teve há menos de dois meses, penso que está safa. A mim resta-me ficar por casa o resto da semana e aproveitar este tempo de paragem obrigatória para arrumar a casa e concluir afazeres pendentes. E eu que andava a desejar tanto o teletrabalho, cá o tenho. De séries não há nada de jeito para ver. A semana passada vi "Sick Note" e ontem vi "Crashing" de uma assentada. Há aí séries que até curtia ver mas são muito pesadas e vou ficar agarrada e não me apetece honestamente. Quero coisas leves e bem-dispostas, simplesmente.

6 comentários

Comentar post