Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

18 de Julho, 2022

Da Ericeira à Nazaré #1 (sábado)

Inês

Nem foi bem da Ericeira nem foi bem até à Nazaré mas dizer os nomes das terrinhas ficava uma tag muito comprida, portanto simplifiquei. A aventura começou quando no sábado fui de autocarro para Lisboa. Cheguei e estava aquele calor horrível a marcar o início da vaga. Fui para o exato mesmo sítio onde o R. me tinha deixado há dois atrás quando nos despedimos. Vi a autocaravana ao longe e depois quando ele parou ao meu lado no passeio e abriu a porta foi mesmo um gigante throwback. Tudo muito na boa. Não houve awkwardness (que eu receava bastante). Rapidamente nos voltamos a familiarizar um com o outro e voltamos a 2020. Eu para o banco do pendura e ele ao volante. Exatamente igual a 2020. Sento-me e sinto algo no meu banco. Um presente do R. para mim. A primeira boa surpresa destes dias. Mesmo boa porque era o livro da Joana Marques e se eu fosse a comprar algum livro seria esse com toda a certeza. E foi mesmo acaso porque ele não a adora tanto como eu e desconhecia por completo o meu interesse tanto na Joana Marques como neste tipo de humor no geral.

Na realidade e uma das partes interessantes desta história é que (a brincar, a brincar) eu e o R. conhecemo-nos há dois anos mas só estivemos fisicamente juntos durante cerca de uma semana. É engraçado como nos conhecemos de forma tão limitada e tão vasta também.

Seguimos então para a primeira paragem que se revelou uma das mais importantes da semana: a Foz do Sizandro. Há ali um parque de autocaravanas mesmo junto à praia o que dá paisagens incríveis e uma vibe de início espetacular. Outro dos pontos altos desta viagem é que, ao contrário da costa vicentina onde não se pode pernoitar junto à costa, aqui na costa oeste pernoitamos sempre junto ao mar e sem stress porque não é proibido e as condições para os autocaravanistas são bastante boas até.

Estacionamos, fomos à praia ver o pôr-do-sol e caminhar um pouco pela areia. Conversamos e voltamos para a AC. Tomei banho e o R. cozinhou bifinhos de frango com massa. Bebemos vinho tinto de caixa (senti-me mesmo o meu pai mas fui na onda). Jantamos a ver o concerto dos Da Weasel no tablet. Foi um bom início de reencontro porque Da Weasel foi a banda sonora que nos acompanhou em 2020. Depois do jantar, arrumamos tudo e fomos a um cafezinho lá da praia que tinha jogos. Isto já é tipo tradição para nós. Começamos sempre na primeira noite num salão de jogos. Desta vez foi igual acompanhado de uns licor beirão que fomos partilhando. Acho que ganhei o primeiro jogo de setas e depois ficamos na conversa com os donos do café até às tantas da madrugada (não fosse o R, o R...). Voltamos para a AC já aos abraços e claro que fizemos maçãs. O R. está com um ligeiro problema na anca (inclusivamente está de baixa) e nota-se a diferença na performance mas por um lado até acho melhor porque ele antes era demais e agora está só bem e mais ao meu ritmo. Dormi muito bem nesta noite e sem dúvida que senti o tempo a voltar a atrás, exatamente como queria.