Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

12 de Outubro, 2020

Diz ela que é stress #2

Inês

Na verdade ela disse "isso é um descontrolo hormonal" mas tendo em conta o penultimo post, vinha a calhar.

O meu último período veio atrasado uma semana. Foi o período de setembro, pós férias e pós aquela pequena aventura em Alvor de agosto. Algo normal tendo em conta que em férias o período atrasar é algo mais provável de acontecer uma vez que se mexe com rotinas, hábitos, etc. E as minhas "férias" implicaram mudanças profundas de rotinas portanto tudo normal. Porém, não vou mentir... Tremi. Uma pessoa não toma a pílula (aquilo são só químicos e mexia muito comigo) e, apesar de tomar as devidas precauções, a ausência de período faz soar o alarme. Anyway, veio e isso é que interessa.

Vou à depilação (muit girly este post) e a esteticista repara naquilo que eu já ando a reparar há algum tempo. Diz ela "Tens muitos pêlos encravados". O que me surpreendeu (sim, ignorante deste lado) é ela dizer que tal se deveria a um descontrolo hormonal qualquer. Não tinha ideia de que as duas situações se relacionavam.

Assim sendo, fico surpreendida comigo mesma por ter tantas reações com origem num suposto stress que à primeira vista não identificaria em mim. Eu sei que ando com algumas preocupações. Ando à procura de emprego e isso é tipo uma task ongoing sempre aberta no meu subconsciente. Sonho com isso e tudo. Ok, é uma preocupação. Sinto-me num ponto da minha vida em que quero mudar tudom, tudo, tudo. Sinto-me como se tivesse numa alavanca a apontar para todo o lado mas presa a essa mesma alavanca. Não me faltam planos, ideias, vontades. Mas falta o resto: a segurança e estabilidade para os concretizar. Quero sair de casa, pegar na mochila e bazar, mas ao mesmo tempo quero encontrar outro emprego e talvez que isso sirva de alavanca para sair de casa e ir viver para outro sítio. Também quero ficar por perto por enquanto pois o meu irmão acabou de comprar casa e quero estar presente no processo de mudança. Estou numa autêntica cruzilhada de incerteza, frustração, sonhos, ambição, família. E apesar de parecer a miúda sorridente e feliz que todos veem no trabalho e que sou, ando com um fardo pesado que nem eu me apercebo na maior parte das vezes.