Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

03 de Agosto, 2021

O Dia de Aniversário

Inês

Este ano fiz 25 anos. Mudar ali a descrição do blog de 24 para 25 anos custou um bocadinho. Esta primeira parte dos 20's passou a voar. Se eu achava que outros períodos da vida tinham passado a correr por terem sido tão cheios de coisas boas, agora vejo que independentemente das coisas boas ou menos boas que aconteçam, a vida passa cada vez mais a voar.

A perceção do tempo tem a sua graça. O tempo passa sempre da mesma forma. 60 minutos há vinte anos demoram o mesmo tempo de 60 minutos hoje. Mas, sem qualquer dúvida, que hoje passam muito mais rápido. Esteja eu a rir ou a chorar, numa fila das Finanças ou numa fila da pastelaria, a ver uma série ou a conversar. Acho que os smartphones tiveram um impacto nisto que é a nossa abordagem ao tempo. São o entretenimento das horas vagas (mesmo que sejam meros minutos). O acelerador do relógio. Nem nos apercebemos. Ou seja, no fundo, é por iniciativa própria que acelero o tempo. E, conscientemente, eu nem quero que isso aconteça mas acaba por ser automático. Está, literalmente, ali à mão. E, além disso, a rotina trabalho-casa-compras-jump-dormir-roupa a lavar-roupa a secar-loiça a lavar-despertor faz-me sentir, de forma mais literal que o desejado, um ratinho naquelas rodas sem parar. Não é que seja uma rotina que eu desgoste, aliás, gosto muito da minha rotina, às vezes até sinto falta dela! Enfim! O que dizer... A vida é uma incongruência de sentimentos, emoções e vontades.

Sobretudo eu. Fazer mais um ano só me veio provar isso, uma vez mais. Sou indepentemente e autónoma e, somehow, neste dia de aniversário foi como se nada soubesse e o dia foi muito menos do que podia ter sido. Eu sei que somos responsáveis por nós próprios, pelo que nos acontece, não foi nenhuma descoberta, já o sabia há muito e mesmo assim deixei na vontade dos ventos a direção do dia, não fiz nada para que fosse assim ou assado e depois queixei-me do infortúnio que foi ter um dia de aniversário shitty. Não foi o primeiro e provavelmente não será o último assim. Um dia que, no fundo, é só um dia como os outros. Que cresci a achar que era um dia especial, o dia 17 de Julho. Um dia que me diz muito e que este ano estraguei. É certo que a cabeça estava mais preocupada com outras coisas que foram a justificação perfeita para o boicote ao dia. Serve de exemplo, não tendo servido para mais nada. Fica na memória como o primeiro dia de aniversário em que nem um bolo de aniversário houve nem se cantaram os Parabéns. Soa bastante triste e até me custa dizê-lo, mas nem foi. Foi só inexistente mesmo. Passado o dia, fica a vontade de no próximo ano fazer diferente, ter uma atitude distinta, mais positiva que atraia coisas boas. Acredito que a atitude é tudo e sobrepõe-se ao que nos acontece na vida, atraímos aquilo que pensamos. Apesar de este ano ter falhado na aplicação dessa abordagem, fica este registo para que em Julho de 2022 não me falhe a memória e eu faça direito.