Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 26.

13 de Junho, 2022

Resumo week 24

Inês

A semana passada começou com um concerto da Dua Lipa no domingo à noite, depois de no sábado eu ter tido aquele grande breakdown. Já tinha comprado os bilhetes com as minhas amigas há muitos meses (talvez até um ano) e na altura compramos só porque achamos que Dua Lipa devia ser uma cena porreira e aqui perto. Nenhuma de nós é uma grande fã. Agora mesmo a queimar a data é que nos lembramos deste compromisso. Na realidade acho que nenhuma de nós queria muito ir. As vidas metem-se pelo meio e não dava muito jeito gastar metade de um domingo nisto. Aliás, até podíamos ter feito as coisas bem diferentes. Se fosse há uns anitos, teríamos ido para braga na sexta ou sábado, e passado lá o fim-de-semana a conhecer uma cidade diferente. Mas não. Fomos só para o concerto e, pior, chegamos atrasadas. O que vale é que a Dua só começou uma hora depois do início (era de prever mas não pensamos nisso) e portanto não perdemos nada. O concerto acabou por se revelar muito fixe. Eu divirti-me bastante, sobretudo depois de três finos que funcionaram como bengala para a mente descolar da noite anterior. Isto em si dava um único post (e sobretudo agora que estou a estudar Inteligência Emocional). Esta coisa de se precisar de bengalas para contornar certos problemas da vida. Especialmente se estivermos a falar de alcool (outra bengala pode ser tentar estar sempre ocupada para assim o tempo passar mais rápido e a cabeça não ir parar tanto a certos tópicos). Parece logo um problema maior mas na realidade três finos para me divirtir num concerto é o quê? É a vida possas! Se um fino me deixa mais leve, que seja. O importante é aproveitar e relembrar a ocasião como um bom momento e não como uma seca. Dancei muito, cantei e saltei. Ficámos cá trás mesmo junto às portas do altice e foi ótimo porque conseguíamos ver o palco e tínhamos imenso espaço. Ir para o meio das multidões mete-me confusão e não acho que valha a pena. Portanto, sim a semana começou bem e foi correndo.

Na quinta-feira tive uma das melhores aulas de Pro-fight de sempre em que colocamos em prática tudo o que aprendemos num ringue improvisado e com os melhores colegas com quem se pode praticar e evoluir. O Renny parecia muito orgulhoso e para finalizar pediu-nos para aguentar em prancha. Fui a única que aguentei sem ir ao chão o que me deixou a mim muito orgulhosa. Por outro lado, descobri nesse dia que agora pago as avaliações físicas no meu ginásio. Acho ridículo mas enfim. Só me mantenho lá mesmo pelo Renny mas nem sei até quando. Pagar 32€ por duas entradas semanais e agora nem a balança posso usar? Fds.

Por fim, na quinta à noite troco umas mensagens com o DC e percebo que ele está nas noitadas, já bastante cego. Evito a troca de correspondência porque sei que podia ler algo que me deixasse em baixo ou agitada. Saber demais é pior e portanto tentei evitar essa dificuldade. Ajudou adormecer e também trocar mensagens com o andré que reencontrei recentemente. Fui bem sucedida. Depois na sexta ele veio, passamos uma bela jornada entre praia e jantar mexicano. Foi um tempo bastante bem passado e isso é de valorizar. Houve lugar para conversas sérias também mas, uma vez mais, evitamos tocar em pontos sensíveis onde facilmente nos iríamos desentender. Estamos crescidos e também consegui superar essa vontade (outrora louca) de esmiuçar coisas que não valem a pena. É de salientar que ele pediu desculpa pela troca e baldroca do fim-de-semana anterior que me tinha deixado tão fdd. Gostei. Também percebi que não houve mais nenhum avanço significativo na relação dele com a outra e isso deixou-me tranquila. No sábado quando ele foi embora, senti uma grande inquietação para ter algum plano e não ficar só em casa (aqui é falha emocional minha que tenho que resolver ou continuar a contornar) pois era o que ele ia fazer e até ficou no ar a possibilidade de eu ir ter com ele no final da noite caso ele voltasse para casa cedo. Primeiro ele disse que não ia chegar e então tirei essa ideia da cabeça, substituindo-a por uma mini-saída com a luisa. Bebi um fino que uma vez mais ajudou a estar mais tranquila e leve. Depois, já disse que tinha chegado cedo e se eu ia e, surpreendentemente para mim, eu disse que estava cansada e não ia. Facilmente tinha ido mas resisti e fui dormir depois de trocarmos algumas mensagens. Gostei deste meu ato apesar de agora estar em mini-pulgas para saber quando nos vamos reencontrar novamente. Hoje já resisti a não perguntar mas talvez amanhã pergunte. De certa forma, já sei que ele só virá se não tiver mais nenhum plano com amigos portanto não vale a pena ter pressa a combinar pois corro o risco que ele desmarque. Os feriados inquietam-me. Ando o ano todo a chorar por tempo para fechar pendentes e agora que tenho feriados atrás de feriados que me deixam apreensiva porque o pessoal começa todo a planear fins-de-semana fora e saídas, noitadas e jantares e as redes enchem-se disso e eu sinto-me triste por não ter o calendário tão preenchido. Esta cultura de comparação que as redes fomentam é uma verdadeira merda. Um dia desinstalo tudo de vez. Juro.