Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

Teenage Dirtbag

Este blog é o meu diário. Mais para mim do que para vocês. Uma tentativa de arquivo de pensamentos. "Teenage" como quem diz... já são 25.

15 de Abril, 2014

Suíça

Inês

Até tenho tido umas quantas coisas para vir aqui escrever mas chateei-me com o blog quando escrevi um texto todo catita e, sem querer, ele foi-se! E nunca mais o voltei a viver. Fiquei lixada (para não dizer pior)! E agora não tenho a mínima vontade de voltar a escrever aquilo tudo. Muito sinteticamente, refleti acerca do futuro das cidades portuguesas que tendem a aproximar-se, a passos largos, das cidades da Europa do norte e centro. Como estive numa, vivi os seus pontos fortes e fracos. Quanto aos fortes: a qualidade de rede de transportes, a ausência de pobreza visível, animais abandonados, sujidade e poluição e também a consciencialização do comércio e dos cidadãos por um ambiente sustentável. Fiquei positivamente espantada com estas situações. Por outro lado, fiquei bastante mal impressionada com a alimentação que predomina e a dimensão do comércio. Há um predomínio indiscutível de produtos e marcas como a coca-cola,os kebabs e as pizzas e certas lojas de roupa que se fixam a uma distância de dois quilómetros umas das outras. E era, basicamente, isto. Se o futuro das cidades que melhor conheço assentar nestes princípios, então, fico na dúvida em relação às mudanças que a evolução e o desenvolvimento obrigam.

Falando de outras coisas, os dias lá na Suíça foram bons e passaram-se bastante bem. Honestamente, não estive com o espírito sempre lá em cima, cheio de entusiasmo e alegria. Tal coisa é raro passar-se aqui em Portugal também. No entanto, esperava que longe daqui, e com um horizonte novo para descobrir na companhia da minha Di, a coisa mudasse. Não mudou. Pensando nisso agora, isto não devia de surpreender assim tanto. Muda o cenário mas não muda a pessoa e, portanto, esta cabeça, muitas vezes, monótona, aborrecida, lenta e adormecida também foi para a Suíça. Torna-se um problema quando eu quero aproveitar a oportunidade e divertir-me o mais que posso e, devido a uma certa inércia interior e tristeza mal explicada, divertir-mo apenas metade do que posso e isso deixa-me lixada por dentro, durante e depois do momento perdido. Este é um problema com o qual me tenho deparado vezes demais nos últimos tempos. Maldita seja esta névoa que vem sei lá eu donde!

De resto, um dos dias mais divertidos foi o do Europaparque. O tempo esteve ótimo, as filas eram mínimas, as atrações do melhor que há! Aconselho qualquer um a passar lá um dia assim que puder. É,definitamente, dinheiro bem gasto e diversão assegurada. Acho que o quanto gostámos de algo pode medir-se pela vontade que temos em voltar a esse algo. Se for mesmo assim, e se servir de alguma coisa, adorei, sem dúvida, a última semana. Já desejei lá voltar trinta mil vezes desde que cheguei.