Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

Teenage Dirtbag

yound adult na tarefa árdua de tentar ser alguma coisa de jeito.

29 de Março, 2022

Uma montanha-russa de emoções e a melhor notícia de 2022 (e de 2021, e de 2020, e de 2019 e talvez da vida)

Inês

Há uma cena que me acontece demasiadas vezes. Chamam-lhe paralisia do sono e tem-me acontecido vezes a mais. A net diz que na vida de cada pessoa pode acontecer entre uma a duas vezes e a mim já me aconteceu esse número de vezes na semana... Nos últimos meses, ou talvez ano, aconteceu-me talvez uma dúzia de vezes. Sempre que acontece tem um impacto grande em mim no dia seguinte pois a sensação não é agradável. É mesmo muito desagradável, na verdade. Segundo a info científica, paralisia do sono não passa de um disturbio causado por horários de sono irregulares, curtos e potencialmente stress. Tento relacionar estes fatores comigo e o que dizer.. horários curtos e irregulares? Seis/sete horas todas as noites não me parece mau. E os níveis de stress já me pareceram muito piores. Portanto, sinto que não explica.

Este fim-de-semana numa conversa entre amigos calha de falar disto e do sentido da vida e da guerra e todas esssas coisas que atormentam e sou surpreendida com um novo conceito que explica uma parte destes enigmas: o espiritualismo. E pensar nisto depois de ter visto Behind Her Eyes? Opa, eu nem quero muito aprofundar porque achei interessante e sobretudo a ideia de haver uma lógica ou uma explicação ou uma tentativa de mas não é um universo que eu queira aprofundar. Assusta-me mais do que me relaxa. E por isso tem que haver outra causa.

Depois, o meu olho não pára de tremer e já acabou o magnésio e os 30 dias em que o médico disse para o tomar. Não resolveu. Porquê que o olho não pára de tremer? Vamos parar ao stress outra vez. Eu até acho diariamente que os meus dias são tranquilos mas depois penso para mim que aquela última semana de fevereiro em que rebentou a guerra eu me descontrolei completamente. Estava num loop de pensamentos negativos. E lá no escritório, a L. tem andado muito stressada e quando ela está assim não se cala um segundo e eu passo o meu dia a pôr e tirar fones e a mandá-la para um certo sítio baixinho. E quando foi para receber o carro lá na empresa também andei preocupada com isso algumas semanas, antes e depois, a pensar e repensar a forma como agia. E, por exemplo, a semana passada foi um autêntico carrosel de notícias. No mesmo dia recebo a melhor notícia de sempre e o meu chefe conta-me que o filho dele está seropositivo. No dia seguinte, vou pela primeira vez em serviço externo lá na empresa com os chefões e ao fim do dia fico a saber que o avô de uma amiga partiu. Depois chego a casa e a minha mãe conta-me entre lágrimas que apareceu uma coisa estranha no peito e tem que ir fazer exames de urgência a Lisboa. Claro, stresso também e só desejo que corra tudo bem (e pelo que se sabe so far não é nada alarmante). E eu que já passei duas semanas sozinha, na companhia dos meus pensamentos e da minha gata, vou passar mais uma. E, não fosse só isso, ela voltava amanhã para casa mas agora apanhou covid e, portanto, vou ficar mais uma semana sozinha! Enfim.. um corropio de emoções e sentimentos, é certo. E eu acho sempre que está tudo bem e que controlo tudo mas talvez estes sejam os sinais que me transmitem que o corpo e a mente sentem. Pelo menos, eu prefiro pensar que estas são as explicações lógicas.

E depois mas antes de tudo e qualquer coisa: o meu irmão contou-me que vai ser pai! E, acreditem, eu pensava que já não ia ouvir estas palavras! Eu sonhei tantas vezes com este momento. Adormeci tantas vezes a chorar porque pensei que não fosse acontecer. Lembro-me de dizer ao DC. que trocaria a minha possibilidade de ter filhos para que o meu irmão tivesse. É o sonho da vida dele. Não foi fácil chegar a este momento e eu duvidei que isto se tornasse realidade. As dúvidas eram muitas, as circunstâncias não ajudaram, muita coisa se colocou no caminho e, para meu espanto completo, na quinta à noite, ao telefone, ele diz-me que vai ser pai. Eu só sabia sorrir e queria contar a toda a gente. A partir daquele momento, este tornou-se o meu pensamento feliz. Vale tudo e não posso esperar pela hora de o ver com um bebé nos braços e o meu pai e a minha mãe com um bebé! Não consigo pensar num cenário mais bonito. Agora é só desejar que tudo corra bem, apenas normal, que os deixem ser felizes que ao fim de tanto tempo merecem. Este é sem dúvida o pensamento mais feliz de sempre.